'...onde você for vida me leva e todo sentimento me carrega'

.
Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 3 de setembro de 2011

"Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça

no mundo, então somos companheiros." (Che Guevara)

sábado, 16 de julho de 2011

Pessoas.

Estava pensando aqui com meus botões: agente só se dá conta que uma pessoa é importante quando se deseja a presença dela no nosso futuro. Pelo menos eu acho que é assim!
Sou pessoa de pessoas, daquelas de diferentes tipos. Tenho pessoas que admiro, tem as que eu gosto, as que amo, pessoas com as quais me divirto e tem também as que eu divirto. Pessoas que sinto saudade, que não sinto falta alguma, as que gosto de ver sorrir, tem as que me alugam os ouvidos e tem as que me cedem os ouvidos.
Pessoas do papo-cabeça, do papo literário, do papo social, do papo académico e as do papo... enfim ?
Pessoas que desejo, tem as que eu já 'peguei' e tem as que me 'pegaram'. Pessoas das quais eu fujo, tem as que eu ignoro, as que me feriram e as que eu nem olho. Essas ultimas são só pessoas e mais nada.
Não existe fórmula, equação, teorema de não sei quem... que defina quem é melhor e quem é pior. A verdade, é que de alguma forma a maioria dessas pessoas deixaram um pouco de si em mim. Mas uma coisa é certa, as pessoas verdadeiras são aquelas que não esperam nada em troca, nem ao menos que você curta o status no dela no facebook onde a mesma fez uma marcação com o seu nome.

domingo, 19 de junho de 2011

O amor é um Deus, esta no homem, na mulher, no gesto, no olhar, no sentir, no pensar. o amor opera milagres, o amor encoraja, o amor cura e o amor maltrata.
Amor uma faca de dois gumes: de um lado a felicidade procurada e do outro a dor jamais almejada. Ter vontade de sentir, de querer, de pensar e de sofrer. Amor que arrebata como uma onda ao encontro da rocha, sem medo, sem espera, sem pensar.

Escrito ao som de:

Texto com a ajuda de Luana Carolina (Pretinha)

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Acredito que a grandeza encontra-se nas pequenas coisas. Todos nós passamos por momentos difíceis, de decisões importantes e atitudes tomadas de formas repentinas. Mas no final quando tudo se encaminha para a melhor forma , é que se percebe que pequenas coisas foram cruciais para que o todo tenha se tornado um final feliz. Digo por mim que sou destas pessoas que estão sempre prontas para socorrer, mas quando necessitam de socorro não conseguem gritar.
Um olhar que te liberta da fortaleza, uma palavra positiva de alguém que nem se quer sabe da sua dor, uma pessoa que não chega na hora errada, outra que por mais raiva que tenha não se exalta, a força que você nem sabia que tinha, o tempo, a vida e as outras coisas que não conseguimos ver mas sabemos que elas existem.
Pequenos nadas, que somados tornam-se grandiosos na vida de alguém.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Dedicado à ELA.

Difícil é assumir para si que o percurso natural da vida acontece de forma mais acelerada. Difícil é aceitar que o morrer se aproxima a cada novo amanhecer. Simples ações cotidianas vão se tornando batalhas a serem vencidas de uma guerra onde já se sabe que a vencedora desta sempre será ELA . Perceber que meu corpo, meu instrumento de sobrevivência, já não obedece aos meus comandos.... Agora sou escravo e comandado por ele, onde este diz a hora em que meus membros adormecem e Deus sabe a hora em que outras coisas pararão de funcionar.
Sei que paulatinamente, esta máquina que comandei, irá se desfalecer até um dia em que tudo se resumirá a um ponto final. Ao menos ainda me resta o comando dos meus pensamentos, dos meus sonhos, dos meus desejos e com isto posso ao menos sonhar com uma nova realidade.
Eu sei que minha sentença já esta traçada, mas aproveitar o que ainda me resta é uma das formas mas saudáveis e menos dolorosas de se ter alguma qualidade. A morte pode ser bem mais fácil do que se pensa, porem o apego é um dos maiores inimigos. Apego ao material, ao sentimental e a que ainda almejo ter.
Por fim, haverá o dia em que serei algo muito além desta carcaça que me rege.

domingo, 10 de abril de 2011

O "gostar" é uma coisa estranha. É tão estranho uma pessoa sentir necessidade de outra, não necessidades fisicas ou fisiologicas porque isso é comum a todos, mas a necessidade daquele olhar, daquele cheiro, perceber manias que só tal pessoa tem, essas coisas que são singulares em cada um.
Entende?
É estranho sentir a necessidade de que esta outra pessoa também te note, te olhe, sinta teu cheiro e que esta também perceba as suas manias. Uma relação de trocas, de descobertas, reciprocidade!
Porem se esta não existir, não enlouqueça ou nem queira tentar descobrir porque diabos ele não te olha. Essa vantagem está longe de ser uma carta na manga de um sujeito que gosta. Gostar é desconhecido, gostar e sentir necessidades do outro é um caminho às escuras, ninguém sabe onde ele te leva. Mas se até os cegos conseguem se orientar em meio a escuridão porque você não?
Enfim, que a reciprocidade esteja presente e se não estiver que a descoberta seja algo indeletavel de uma relação. Clichê? Talvez, mas o "gostar" é assim: semelhante na espécie, porém de formas curiosas e diferentes. E o "não gostar" é uma coisa feia, porque te faz se resumir a algo ou a si mesmo. Então goste e descubra coisas ao conjugar este verbo!

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

tédio! não que eu seja uma pessoa amarga e rabugenta, pelo contrário eu sou uma espécie de simpatia gratuita. mas é que as coisas e até as pessoas me cansam, essa coisa de todo mundo ficar a mil amores de nhenhenhém pra e pra lá me deixam... me deixam... ah, me deixam melancólica e eu não gosto dessa melancolia, me faz lembrar de Caio Fernando e suas relações complicadas, de Clarice e sua tristeza profunda ou daquele velho jornalista apaixonado pela jovem de Gabo. Não, eu não gosto de sentir essa coisa quementristecemeapertaopeito e me dá a sensação de esperar por alguém que não sei quem. não quero!